• Tadeu Veiga

UBUNTU 2012



16 de Junho , após uma sexta-feira complicadíssima na minha cabeça , incluindo tempestades de pensamentos internos e pancadas externas , tivemos um sábado excelenteexcelente visitando lugares como : The David Sheldrick Wildlife Trust http://www.sheldrickwildlifetrust.org/index.asp , , The Kazuri factory http://www.kazuri.com/pc/and The Bomas of Kenya http://www.bomasofkenya.co.ke/,todos projetos socias sustentáveis do tipo que da gosto de ver tanto como ajudam a sociedade , como funcionam bem , como sairam do papel faz tempo , e estão repletos de pessoas satisfeitas e orgulhosas do que fazem . Somente o passeio já valeu a pena , porque eu terminei a semana muito pra baixo e estava precisando de ajuda para me recuperar .


Estava muito pra baixo porque no dia anterior , a caminho de um dos clientes envolvidos no projeto , atravessamos a segunda maior favela de Nairobi (https://www.facebook.com/media/set/?set=a.139183569493309.35367.100002050001971&type=3) ida e volta mais ou menos 1 hora dentro da favela , que é cortada por uma avenida principal . Até aqui nenhuma novidade para quem mora em São Bernardo do Campo , mas tem dois itens adicionais : Primeiro que pela característica da viagem , eu estava mais ligado nas cenas externas , disponíveis na janela do Toyta Landcruiser de 10 lugares que estavamos usando.Confesso que já atravessei a favela de Heliópolis e a de Diadema , a qual não lembro nem o nome , sem dar a mínima para as cenas externas . Agora preciso voltar lá com este mesmo espírito para rever as cenas mais chocantes e compara-las , porque pelo que me lembro as condições que vi aqui são muito piores em todos os sentidos .

essoa da esquerda , sem cinto de segurança = alto impacto da cabeça no teto (na subida) e alto impacto da face no encosto do banco da frente (na descida) . Pois é , o meu foi o nivel 3 . Tanto que no cliente e na volta , o impacto físico mais o impacto emocional criaram um final de dia difícil de digerir . Na verdade só comecou a melhorar mesmo no sábado com este passeio descrito acima .


Acredito que as melhores cenas não pode ser filmadas nem fotografadas. Alias , eu acredito que mesmo que voce filme ou fotografe 100% do seu tempo e tenha as imagens disponíveis em arquivo , voce não pode viver o momento 2 vezes . As viagens ficam na memória muito mais do que no HD . As imagens nao registram 100% das emoções , então relaxa . No Safari em Masai-Mara no final de seman anterior , nosso guia comentou que duas turistas começaram a chorar quando a bateria da máquina fotográfica acabou , ficaram tão desoladas que não aproveitaram mais o passeio naquele dia , mesmo tendo disponível uma das melhores lembranças que poderiam ter . Terminaram sem foto e sem lembranças . Por exemplo , voce pode ver meu álbum de lá https://www.facebook.com/media/set/?set=a.318458684899129.72987.100002050001971&type=3 , mas vai ter que ir até lá se quiser saber mesmo do que se trata . Então a cena principal eu vou somente descrever , estava sem bateria na camera fotográfica , a iluminação estava péssima , a cena foi rápida demais para eu pedir outra maquina emprestada . Mesmo assim , esta cena fica na minha memória e servirá no meu processo de entendimento da sociedade local e dos processos globais de responsabilidade social .



Estávamos assistindo a um dos shows no “The Bomas of Kenya”e eu comprei 2 pacotes de pipoca ( por aqui pipoca não se compra em pipoqueiro , quentinha e feita na hora não , lembra do cheirinho ? e a do cinemark ? ô saudade ... ) , são pacotes como batata frita e outros que já vem pronto . Eu comprei dois porque estavamos em 6 pessoas . Claro que ao abri-los a decepção foi grande , mas eu continuei comendo por hábito , afinal estavamos vendo um show . Durante este mesmo show , meu amigo gente fina e relaçõe s públicas por natureza (alías , vendedor) , sentado ao meu lado , começou a tentar se integrar com o pessoal da fila da frente , alunos de alguma escola local que foram ver o mesmo show . Tinha muita criança , eles tomaram toda a fila de assentos da nossa frente , todos com o mesmo uniforme , idade entre 6 e 9 anos aproximadamente , alguns com a cara decorada da mesma forma que vemos em algumas festas infantis em Sao Bernardo . Frases em ingles e em Swahili sofrível não estavam ajudando muito . Enquanto isso eu acompanhando o show , comendo pipoca sem graça e rindo do meu amigo tentando estabelecer contato . Tentei oferecer pipoca para os garotos e eles tiveram uma reação tão tímida que eu desisti porque estava mais atrapalhando o processo do que ajudando.


Voltei para o show . Ao voltar a atenção para o colega ao lado de novo , ele já estava trocando algumas palavras com um garoto , o mais velho da turma aparentemente , e o contato já estava estabelecido . Tive uma reação meio sem pensar , passei a pipoca para meu colega e pedi para ele oferecer ao garoto , pensei que já que eles estavam em contato poderia funcionar , e funcionou .


Duas reações em cadeia , a primeira foi que ao oferecer a pipoca ao garoto , meu colega sugeriu que ele dividisse com mais alguém , começa aí a primeira parte da cena : Este garoto , não lembro o nome , passou a pipoca para o maior número de crianças possível , cada um juntou as duas mãos e ele foi um a um enchendo a “conchinha” formada pelas mãozinhas de cada com um pouco de pipoca . Só esta parte já valeu o dia . Claro que a pipoca não foi suficiente prara todos , e o garoto que estava distribuindo serviu tudo , até acabar , e ficou sem .


A segunda reação em cadeia foi que , quando o garoto voltou para sua cadeira , outro colega me passou o segundo pacote de pipoca de volta . Desta vez eu mesmo ofereci de novo ao mesmo garoto , ele aceitou facilmente e voltou a distribuir pipoca . Esta segunda parte completou o dia . Ele reiniciou do ponto de onde o primeiro pacote tinha terminado , meio que calculou a quantidade para cada um e serviu a todos que ficaram sem , inclusive ele . Esta é a cena final que tenho na cabeça : Uma fileira de 32 crianças , de 6 a 9 anos aproximadamente , todo com o mesmo uniforme , alguns de cara decorada , comendo pipoca ao mesmo tempo . Eu contei enquanto admirava a cena , contei 2 vezes . Eu fotografei esta cena , tive tempo para por a segunda bateria na máquina . A iluminação estava péssima , afinal estavamos assistindo a um show , não cabiam todos na mesma imagem , a foto ficou muito ruim , pior do que a pipoca . Uma pipoca pré-fabricada , sem graça , meio murcha e com pouco sal .


A mesma pipoca que serviu para 32 crianças . A mesma pipoca para qual minha primeira reação foi jogar fora . Todos comeram tudo com gosto , eu estava lá e vi. Não assisti mais ao show , preferi este show . o show anonimo de um garoto de 9 anos . Pensamentos no caminho de volta , juntando todas as cenas e sentimentos deste e do dia anterior . Lembro do Cinemark , de derrubar um balde de pipoca e voltar pra comprar mais , penso em valores monetários , valores pessoais , e esta cena fica pra sempre e ainda vai render . Vai me ajudar a processar tudo que vejo e sinto por aqui , como entender esta cidade , este país e o mundo globalizado .

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo